O início das aulas tem sempre um sabor agridoce, tanto para pequenos como para graúdos. Voltam as aulas, os amigos, as festinhas e a brincadeira… mas com elas voltam as regras, as birras, as manhãs de ramelas e as segundas feiras terríveis. Se a sua criança é pouco madrugadora então duplique a sua paciência pelo menos até que se construa uma nova rotina que ela reconheça. O momento da refeição volta a ser um verdadeiro ring, até porque ninguém gosta de passar dos gelados das férias, para as sopas da escola assim de um momento para outro!

É relevante falar-se, então, sobre a importância da alimentação no regresso às aulas.

Não é novidade que o pequeno-almoço é a rainha das refeições mas, nesta fase, é ainda mais importante. Um pequeno-almoço equilibrado é imprescindível para a criança retomar um novo dia sem qualquer sinal de cansaço ou sono, e ter melhores níveis de concentração. Vários estudos demonstram que crianças bem alimentadas cumprem mais tarefas e com menor percentagem de erro do que as que não tomaram pequeno-almoço. É certo e sabido que de manhã é sempre uma correria, há uma família inteira para tratar, coisas para organizar e garantir que saem todos de casa a horas, e com tudo o que necessitam. É sem dúvida, uma tarefa bastante complicada!

Ler também Regresso às aulas

A única coisa que não deve abdicar é do pequeno-almoço que as suas crianças tanto precisam. Lembre-se que esta poderá ser a única refeição de qualidade que terão até que voltem para casa. O início de um novo dia e o regresso a casa são as melhores alturas do dia para promover uma boa alimentação à sua criança, já que nem sempre a que é oferecida na escola é do seu agrado. Uma boa sugestão para quem sofre com a falta de tempo é preparar os pequenos-almoços de véspera, ou pelo menos preparar o máximo que puder. Deixe o pão cortado, pronto para ir a tostadeira, os cereais nas taças, a mesa posta, a fruta lavada, as papas feitas prontinhas só para aquecer e por aí fora.

Um pequeno-almoço ideal deve conter pão, cereais ou substitutos, leite ou derivados e fruta. Pode e deve abusar da sua criatividade para criar refeições diferentes mas apelativas e nutritivas. Uma apresentação atrativa, cores variadas e formas e texturas originais podem levar ao sucesso da refeição.

As crianças não devem ser apressadas a comer, principalmente quando falamos da primeira refeição dia.
É engraçado que quanto mais se pressiona para que comam, menos o fazem e mais lenta se torna a refeição.
Se for necessário, acorde-a mais cedo 15 a 30 minutos e promova uma refeição calma em família.

Valorize-a.

Esta é das poucas refeições que fazem em conjunto e deve usá-la para incentivar bons hábitos, influenciar escolhas e promover novas experiências.

Publicado por Carolina Fernandes

Nutricionista, Lisboa Nasci no Funchal, estudei no Porto e sou Feliz em Lisboa. Chamo-me Carolina Fernandes, tenho 29 anos e sou Nutricionista e Mãe da Madalena desde 2015. Licenciei-me e 2009 pela Universidade do Porto e rumei de volta ao ninho, onde exerci na Associação de Paralisia Cerebral da Madeira, como Nutricionista Clínica e como responsável pela Unidade Alimentar. Com esta experiência, apercebi-me que seria importante estudar e aprofundar conhecimentos na área da segurança alimentar. Frequentei então uma Pós-Graduação em Gestão da Qualidade e Segurança Alimentar no Instituto Superior de Ciências da Sáude Egas Moniz. Além de Nutricionista, sou Mãe de primeira viagem e como qualquer Mulher moderna feliz, procuro conciliar a vida pessoal com a profissional e ser bem sucedida nas duas. É como Nutricionista que escrevi até agora para a Up to Lisbon Kids e será como Mãe - Nutricionista que escrevo daqui em diante, porque todos os conselhos, dicas e truques serão experimentados na primeira pessoa, baseados numa experiência verdadeira e vivida por uma Mãe-galinha trabalhadora e (quase) sem tempo livre.

Deixe um comentário