A rotina é essencial para um adormecer e um sono mais tranquilo

Eu sou uma pessoa de rotinas. Ajudam-me a organizar, embora não ache que seja demasiado rígida ou inflexível. Mas acredito que para as crianças a rotina não é só uma questão de gosto ou preferência, é uma questão de equilíbrio mental e emocional. Faz com que se sintam protegidas e ajuda a reduzir a ansiedade.

Nós, cá em casa, tentamos cumprir uma rotina de hora de ir para a cama. Nada muito rígido ou inflexível, apenas uma forma de acalmar os ânimos de modo a que adormeçam com mais facilidade. E consequentemente, tenham um sono mais tranquilo. Gostamos de contar / ouvir uma história antes de adormecer. Não fazemos isto como obrigação, mas como um ritual. Desde o escolher da história, que normalmente fica ao critério dos meus filhos até à forma que encontramos de nos encaixarmos os quatro no sofá de modo a que estejamos todos confortáveis até à escolha de quem é o contador de serviço.

Normalmente essa tarefa cabe-me a mim (por razões óbvias) ou à minha filha mais velha que já é uma leitora autónoma e tem muito prazer em contar a história. O meu filho mais novo está agora a começar a ler as primeiras palavras por isso gosta que leiam para ele. O pai diz que é melhor ouvinte do que contador! No entanto, não utilizo a história como obrigação antes de dormir. É um prazer ou um privilégio que lhes proporciono nesse momento como outros noutros momentos do dia.

Às vezes, há crianças com alguma dificuldade na hora de ir dormir.

O livro acaba por ser uma boa estratégia para acalmar estes momentos que podem gerar mais stress ou conflitos.

Não encarar a história como uma obrigação ou não a ligar diretamente à hora de deitar é uma boa opção.

Como abordar a questão da hora de ir para a cama?

Em vez de “está na hora de ouvir a história porque tens que ir para a cama”, experimente: “vai escolher qual é a história que gostarias de ouvir hoje”. Ou “posso escolher uma história para me contares?”.

Fazer da hora da história um momento prazeroso para pais e filhos (por isso pais, nada de bufar ou refilar na hora de contar a história) e depois, com os ânimos mais calmos, encaminhar para a hora de dormir.

O sítio onde se conta a história também tem muita importância. Há famílias que preferem contar com a criança já deitada na cama, outras no sofá… enfim, onde quiserem. É preciso é que estejam todos descontraídos, confortáveis e dispostos a desfrutar deste momento que se quer divertido, relaxante e, sobretudo, de conexão e afetividade.

Por agora só me resta desejar boa noite e bons sonhos…

Publicado por Maria João Travassos

Sou uma educadora de infância que em 2016 sentiu que era tempo de terminar a sua viagem pelas salas de Creche e Jardim de infância. Por isso, e com a sensação de missão cumprida, dei início a uma nova viagem. O caminho passa pelos livros infantis, pelas histórias, pela infância e pela parentalidade. Na bagagem levo uma Licenciatura em Educação de Infância, 16 anos de experiência como Educadora, uma Pós-Graduação em livro infantil na Universidade Católica Portuguesa, o domínio do inglês devido a ter vivido e estudado 3 anos nos Estados Unidos da América e possuir o Cambridge Certificate in Advanced English, uma paixão enorme e algum conhecimento por livros infantis, histórias e afins e algum “saber” sobre parentalidade, resultado da experiência profissional acumulada e do facto de ser mãe de uma jovem com 11 anos e um rapaz com 6. Neste momento, como promotora e mediadora da leitura, contadora de histórias, formadora e consultora na área do livro infantil, desenvolvo um projeto de mediação e promoção da leitura em parceria com escolas, agrupamentos, associações de pais, ATL (atividades de tempos livres), bibliotecas ou junto de instituições que trabalhem com e para a infância e juventude, através da dinamização de horas do conto, oficinas de expressão e de escrita criativa, jogos e workshops para pais e profissionais. Quem quiser saber mais sobre as paragens desta minha viagem ou entrar em contacto, podem fazê-lo através da minha página de Facebook ou do meu e-mail.

Deixe um comentário