A ti, que estás grávida pela primeira vez.

Isto é o que te quero dizer. A ti, que estás grávida. Grávida pela primeira vez.

Estás linda. Com mais 9 ou mais 18 quilos. Com barriga pequena ou grande. Empinada ou redonda. Com pés inchados e um rabo que não acaba nunca, ninguém quer saber. A beleza do que significa estares grávida é o que todos vêem.

Chora. Deixa-te levar por essa lamechice que não te larga, chora tanto com um anúncio parvo como com o maior romance. Deixa-te descontrolar por essas hormonas. Tu podes.

Dorme. Enquanto conseguires. Deixa-te levar pelo sono, sonha muito, dorme de manhã, à tarde e à noite, sempre que o desejares e sempre que puderes. Lá para as 30 semanas já não vais conseguir dormir grande coisa. Nem depois das 40. Pelos melhores motivos.

Ama. Ama cada mudança no teu corpo, cada pontapé, cada pormenor. Vais ter saudades.

Faz o ninho. Muito provavelmente vais gostar de passar a roupa pela primeira vez. Cheira os babygrows acabados de lavar, alinha as roupinhas por tamanhos, arruma os primeiros livros e os primeiros peluches.

Cuida de ti. Toma um banho mais demorado de espuma, acaricia a tua barriga com cremes, delicia-te com o teu reflexo no espelho.

Aproveita todos os minutos. Essa luz que ilumina cada poro da tua pele, que se sente a léguas, essa luz é única.

Faz promessas de amor eterno. Conversa com o teu bebé, ele ouve-te. Canta para ele. Conta-lhe como vão ser felizes.

Apaixona-te todos os dias pelo pai do teu filho. Espreita-o a dormir, segreda-lhe ao ouvido. Promete-te que nunca te vais esquecer de que, antes de serem três, eram dois.
Lê, vê, escuta. Prepara-te da forma que achares que precisas para te sentires confiante. O saber não ocupa espaço. Mas, acima de tudo, relaxa. Vais ser a melhor das mães. Basta ouvires o teu coração.

Não tenhas medo. Vai tudo correr bem. Mesmo que não corra como esperas. Mesmo que não seja fácil. Mesmo que te sintas desprotegida, frágil, insegura. Vai passar. Vai acabar por correr bem. Vais dar conta de tudo. De tudo o que é realmente importante.

Prepara-te. Vais ser Mãe.
Não te prepares. Não vale a pena. Esse Amor não se aprende nem se prevê. Apanha-te completamente desprevenida. Deixa-te paralisada ao mesmo tempo que te faz estremecer. É um Amor arrebatador, maior do que TU, maior do que os homens.

imagem@flawedlovabletaylor

Publicado por Joana Paixão Brás

Joana Paixão Brás, Lisboa, Editora de conteúdos de televisão Licenciada em Ciências da Comunicação na Universidade Nova de Lisboa, Joana Paixão Brás ainda trabalhou como jornalista, mas depressa percebeu que o entretenimento era o seu mundo. Trabalha há três anos na SIC, nos conteúdos dos magazines Fama Show e E-Especial e do programa Alta Definição e é voz off do canal SIC Caras. Fui mãe em março de 2014 e desde aí tenho conciliado o mais importante papel da minha vida com a vida de repórter, editora de conteúdos e ainda blogger. Com uma amiga, criámos um blogue sobre as nossas descobertas enquanto mães: as coisas estúpidas e as coisas menos estúpidas, as coisas fofinhas e os cocós. Aceitamos a proposta da Up to Lisbon Kids para ir partilhado, também por aqui, coisas que todas as mães pensam, sentem ou vão sentir.

Junte-se à conversa

1 comentário

  1. ana camacho comentou:

    Amei,simplesmente amei o artigo!
    Acabei de ser mãe (há 20 dias! :)) sempre foi o meu sonho!
    Li e reli e voltei a sentir tudo o que senti…e chorei…
    mas de felicidade, voltava a passar tudo de novo, é a melhor
    sensação do mundo apaixonar se todos os dias pela mesma pessoa,
    neste caso meu filho.
    Parabéns pelo artigo!