Os livros atuam na criança aos mais diversos níveis.  São versáteis e servem muitas funções, mas não são mágicos. Há que fazer um trabalho continuado para que os livros e tudo o que transmitem possa fazer sentido à criança e não apareça na sua vida como um pop-up sem contexto. Os livros transmitem muitas mensagens e, na maioria das vezes, até são diferentes de criança para criança. Por isso é preciso dotá-las de capacidades para a exploração completa de um livro e não o reduzir simplesmente à mensagem que nós achamos ou queremos que este passe.

Uma história por dia nem sabe o bem que lhe fazia.

Apesar do trocadilho, é bem verdade. Só ao ler, ouvir e explorar muitos, diferentes e bons livros as crianças conseguem retirar deles todo o seu potencial.

“Um livro é um brinquedo feito com letras. Ler é brincar.” (Rubem Alves).

O convívio diário com os livros nas suas diversas formas, como brinquedo, como objeto lúdico traz benefícios a vários níveis. Alargamento do vocabulário, promoção da empatia, e desenvolvimento do sentido crítico. Promove o aumento da concentração, do conhecimento do mundo e da gestão das emoções.  Aumenta a capacidade de imaginação e de outras dimensões da criança e do ser humano em geral. É importante ensinar aos nossos filhos o poder dos livros.

Acredito que o prazer na leitura. A consciência da sua importância é das ferramentas mais poderosas que podemos deixar na “caixa de ferramentas” das crianças. Para tal é importante que os adultos que fazem parte das suas vidas deem eles próprios o devido valor aos livros, uma vez que as crianças aprendem sobretudo por imitação.

Dar “acesso livre” aos livros e não os guardar como objetos preciosos que só podem ser manuseados com cerimónia é outra estratégia a ser adotada.

Por fim o que mata o gosto pela leitura é, entre outras causas, o facto de um livro ser apresentado como obrigação. (Alice Vieira)

Publicado por Maria João Travassos

Sou uma educadora de infância que em 2016 sentiu que era tempo de terminar a sua viagem pelas salas de Creche e Jardim de infância. Por isso, e com a sensação de missão cumprida, dei início a uma nova viagem. O caminho passa pelos livros infantis, pelas histórias, pela infância e pela parentalidade. Na bagagem levo uma Licenciatura em Educação de Infância, 16 anos de experiência como Educadora, uma Pós-Graduação em livro infantil na Universidade Católica Portuguesa, o domínio do inglês devido a ter vivido e estudado 3 anos nos Estados Unidos da América e possuir o Cambridge Certificate in Advanced English, uma paixão enorme e algum conhecimento por livros infantis, histórias e afins e algum “saber” sobre parentalidade, resultado da experiência profissional acumulada e do facto de ser mãe de uma jovem com 11 anos e um rapaz com 6. Neste momento, como promotora e mediadora da leitura, contadora de histórias, formadora e consultora na área do livro infantil, desenvolvo um projeto de mediação e promoção da leitura em parceria com escolas, agrupamentos, associações de pais, ATL (atividades de tempos livres), bibliotecas ou junto de instituições que trabalhem com e para a infância e juventude, através da dinamização de horas do conto, oficinas de expressão e de escrita criativa, jogos e workshops para pais e profissionais. Quem quiser saber mais sobre as paragens desta minha viagem ou entrar em contacto, podem fazê-lo através da minha página de Facebook ou do meu e-mail.

Deixe um comentário