O verão e o excesso de peso nas crianças

No Verão o que escolhe alimentar: o excesso de peso das crianças ou estilos de vida saudáveis?

Com a chegada do Verão e das férias “grandes” as rotinas alteram-se, a rigidez dos horários torna-se mais flexível e os alimentos ingeridos acabam muitas vezes por ser diferentes. E aqui a diferença nem sempre é sinónimo de qualidade. Muitos pais partilham que atrás das excepções, em busca de descanso e de evitamento de lutas em torno das horas das refeições, acabam por ceder a repetidos pedidos “pouco saudáveis”. Hoje também posso comer um gelado? Está calor não quero sopa. Posso comer batatas fritas na praia? E um cachorro quente? E uma bola de berlim? Acordei tarde, não me apetece almoçar.

Poderá ter isto impacto no peso das crianças? Poderá ter isto impacto na forma como a criança se vê e se relaciona consigo e com os outros?

Para os pais, os seus filhos estão sempre “perfeitos” e muitas vezes é difícil conseguirem analisar a sua verdadeira condição física e ponderal. A construção da mente e corpo de uma criança/jovem começa desde o momento em que nascem.

Estudos comprovam que uma criança obesa tem grandes probabilidades de vir a desenvolver problemas como: diabetes tipo II, puberdade precoce, problemas ósteo-articulares, apneia do sono, colesterol elevado e doenças cardiovasculares. A somar a estas consequências médicas, temos também problemas psicológicos. A sociedade é muitas vezes estigmatizante e “cruel” para quem não tem um peso adequado. A depressão infantil, baixa auto-estima e mau relacionamento com o corpo, ocorrem muitas vezes em idades cruciais e podem ser consequência do excesso de peso. E o impacto destas alterações emocionais permanece muitas vezes na vida adulta.

Uma criança para se tornar obesa não precisa de ter tido excesso de peso desde sempre. Actualmente, existem muitas crianças com um peso saudável numa determinada fase do seu desenvolvimento, que vão gradualmente ganhando peso por levarem uma vida sedentária e uma alimentação desequilibrada. Podem vir a ter dificuldades de movimento crescentes, problemas de auto-estima e marginalização social que os levam muitas vezes a isolar-se, ficando ainda mais inativas e fazendo da comida um melhor amigo. E assim se alimenta um ciclo perigoso… É, por isso, importante quebrar o ciclo da obesidade. E isso inicia-se, desde tenra idade, na família e com a promoção de hábitos alimentares saudáveis.

A chegada do Verão pode então, de outro prisma, ser encarada como um momento por excelência para promover hábitos saudáveis, nomeadamente em relação à alimentação e à actividade física. Sirva de modelo para a pequenada que o rodeia.

As cores vivas dos frutos de Verão podem ser um argumento “extra” para o seu consumo. A criança poderá escolher diferentes frutos para fazer sumos naturais (sendo assim mais fácil ignorar a existência das terríveis bebidas gaseificadas), para acrescentar cor às saladas e para fazer deliciosas espetadas.

E com o bom tempo, não combina ficar parado em frente a uma televisão ou computador durante um dia inteiro. Assim, procure o convívio e as actividades ao ar livre – caminhadas pela praia, piqueniques no campo, passeios de bicicleta, jogos com bolas. Na praia falem sobre as marés e os peixes, observem e recolham conchinhas. Nos piqueniques conversem sobre os insectos. Nos passeios de bicicleta comentem as árvores e as flores que encontram. Nos jogos incentive a partilha, a cooperação e a auto-confiança.
Partilhem tempo de qualidade e divirtam-se!

Por Inês Afonso Marques, Psicóloga Clínica Coordenadora área Mindkiddo –
equipa infanto-juvenil, Oficina de Psicologia, para Up To Kids®

Todos os direitos reservados

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.