O corpo contém a história de cada indivíduo e é por meio dele que devemos procurar resgatar as emoções mais profundas, como se fosse uma viagem na qual podemos desvendar alguns mistérios, aos quais a mente sozinha não tem como aceder. A proposta é possibilitar, através do contacto com o corpo enquanto organismo vivo e expressivo, revivências de carácter emocional e afectivo, acompanhadas de uma tomada de consciência capaz de dar suporte à reorganização do vivido.

A viagem através dos nossos 7 centros energéticos vitais.

Acredito que a saúde e o bem-estar do indivíduo dependem do fluir da energia em todas as dimensões que compõe o ser-humano. O funcionamento dos chakras está diretamente relacionado com o estado psíquico da pessoa, originando bloqueios e conflitos que alteram o seu funcionamento e comprometem o fluxo energético, determinando o estado da nossa saúde.

O corpo humano encontra-se dividido em três grandes áreas:

  • A área inferior (dos pés até a cintura)
    Que está relacionada com os processos de absorção, eliminação e nutrição e da qual fazem parte o chakra da Raiz e do Hara.
  • A área central (do umbigo até abaixo do coração)
    Que corresponde ao chakra do Plexo Solar e relaciona-se com os aspectos de transmutação, metabolização e distribuição de energia.
  • A área superior (do coração até o topo da cabeça)
    Que envolve os chakras do Coração, Garganta, Terceiro Olho e Coroa, com um movimento energético para cima e que se relaciona com a componente espiritual e com os estados progressivos de consciência.

Os 7 Chakras

Arquetipicamente cada um dos chakras representa também uma das forças elementares da vida, numa interpretação simbólica da função energética de cada um destes centros: Terra, água, fogo, ar, som, luz e pensamento. Psicologicamente também correspondem a áreas fundamentais da nossa vida, tais como: sobrevivência, sexo, poder, amor, comunicação, imaginação e espiritualidade e o seu fluxo determina algumas funções psicológicas.

  • O primeiro centro, o chakra da Raiz, tem como função primária enraizar, no sentido de um compromisso com o corpo e um dese­jo de sobrevivência. A Raiz tem como qualidade principal o Grounding, que representa a nossa capacidade de contacto com a nossa realidade interna e externa, é as nossas competências de sustentação, assertividade e concretização. Representa assim uma espécie de compromisso com o corpo e um desejo de sobrevivência que se liga à energia da terra.

A pergunta básica deste chakra é então, “onde estão as minhas fontes de força?”, onde é que vou buscar o que me alimenta, me protege e me permite viver em bem-estar físico e emocional.

  • O segundo chakra é o Hara, cuja qualidade é a Serenidade. Ao contrário da Raiz que nos ensina a formar a nossa base e o centro da nossa atenção está no Eu, o Hara compreende já a mudança do Eu para o Outro, da singularidade para a dualidade e permite-nos descobrir o reino dos sentimentos e dos desejos. Este centro tem como função primária a carga ou emoção. Este centro está intimamente ligado ao umbigo e à sensação de contacto via conexão com o cordão umbilical. Na infância é o centro do bem-estar, sustentado por experiências agradáveis no seio. Duran­te e após a adolescência relaciona-se com a sexualidade. Ao longo do desenvolvimento, a líbido passa então da boca para os genitais.

A questão chave que se coloca para trabalhar este centro é “Quem sou eu e como uso a minha força?”.

  • O Chakra do Plexo está relacionado com o Poder pessoal, Vontade e Vitalidade. Liga-se à nossa parte emocional e à nossa capacidade de lidar com os conflitos.

Este centro reflete a nossa parte emocional, a nossa personalidade, o nosso Ego e tem como função mais profunda a transmutação da energia para que ocorra transformação. Os bloqueios a este nível dificultam a transmutação e a passagem do fluxo energético da parte inferior do corpo, para a parte superior, o que gera uma separação no organismo, perfeitamente visível em alguns corpos. É o centro do poder, de ser capaz e de adquirir o nosso “direito de agir”. São as questões dos vínculos, fronteiras, limites e autoconfiança.

A questão central deste chakra é “Como reconhecer fronteiras, como lidar com o conflito construtivamente?”.

  • O quarto Chakra, tem como qualidade a Alegria, a celebração da vida e a função essencial é a compaixão. O Coração é o centro da união com o próximo, com a vida e com o mundo. Relaciona-se com a compaixão, a habilidade de amar profundamente e de formar relacionamentos. Quando este chakra está em desequilíbrio, o peito parece contraído, a respiração profunda e difícil e verifica-se uma tendência à depressão. Nestas circunstâncias, a pessoa pode ter a tendência de se isolar, ter medo dos relacionamentos interpessoais e sofrer com falta de amor-próprio.

Para trabalhar o Chakra Cardíaco, a questão que se coloca é “Como melhorar as minhas qualidades de contacto?”.

  • Chakra da Garganta tem como qualidade a Expressão, a Comunicação e a Partilha. O elemento deste chakra é o som. A garganta como canal de expressão está ligada à forma como estamos ligados ao coração, expressamos os nossos sentimentos, a nossa perceção e a nossa criatividade. Os bloqueios deste centro por excesso de energia, são característicos de pessoas que falam muito mas dizem muito pouco. É como se descarregassem a energia em excesso através da verborreia, porque a garganta, as mãos e os pés são os lugares do corpo através dos quais podemos descarregar energia e libertar tensões. Por outro lado, uma deficiência energética é visível em pessoas que apresentam dificuldades na comunicação. Garganta apertada, ombros tensos e voz sem ritmo.
  • O Terceiro Olho tem como qualidade a Clareza Mental. O centro da Fronte ou Terceiro Olho relaciona-se com a perceção visual, psíquica e intuitiva – olhar para fora e ver por dentro. Está assim relacionado com a nossa clarividência, que é a capacidade de ver claramente, não com os olhos mas com todo o nosso sistema de perceção intuitiva, que nos leva para lá do tempo e do espaço.

A pergunta associada a este chakra é “Para onde vou, como concretizar os meus sonhos?”.

  • Por fim o Chakra da Coroa, cuja qualidade é a Espiritualidade e Transcendência. O centro da Coroa é o canal de comunicação com o cosmo. Relaciona-se com o pensamento, a consciência, a informação e a inteligência. Está ligado ao nosso modo de pensar, ao nosso sistema de crenças e à ligação ao superior, numa abertura para algo maior do que o ser, onde se dá a integração de todas as nossas qualidades.

As distorções/perturbações deste chakra são o excesso de pensamento, como no caso das pessoas que estão sempre na cabeça ou no inverso, a incapacidade de pensarem por si próprias, radicalismo e sistemas de crenças fechados.

Este chakra corresponde ao “direito de saber”, que inclui não só o direito à informação, à verdade, à educação e ao conhecimento como ao direito espiritual de nos conectarmos com o divino, seja qual for a nossa conceção espiritual.

A pergunta associada a este Chakra é “Quais os meus valores e como comportar-me eticamente?”

Experimente esta viagem e descubra-se a si próprio…..

Publicado por Ana Galhardo

Casada, mãe de 3 filhos e com a melhor profissão do mundo. Lisboa. Psicoterapeuta Corporal e responsável pelo Espaço CresSer. A palavra psicoterapia vem do Grego e significa Curar, gosto mais de falar em Cuidar, porque para mim é exactamente isso que significa ser psicoterapeuta, cuidar dos outros e cuidar de mim, numa dupla presença que me permite ver, ouvir e sentir, o outro e a mim própria. Crescer e Ser com cada uma das pessoas com as quais tenho o privilégio de partilhar este espaço, que é um espaço de intimidades. Considero a psicoterapia como uma ferramenta fundamental no desenvolvimento pessoal, na qualidade de vida e de relação com os outros. A psicoterapia é para todos e não apenas para alguns. É uma forma de estar na vida, com mais vida e com maior consciência! A psicoterapia corporal tem ainda o benefício de aliar corpo, mente e espírito, integrando pensamento, sentimento e acção e de permitir antever a história pessoal de cada uma das pessoas, na medida em que esta está inscrita no seu corpo. Nesse corpo que todos os dias nos fala, mas ao qual nem sempre estamos atentos para o podermos escutar. Agora estarei mensalmente na Up To Kids com artigos sobre crianças e adolescentes; Sobre a forma como vêem e sentem o mundo à sua volta; Sobre as suas angústias, medos, ansiedades, preocupações e perturbações. Os artigos serão sempre o reflexo das minhas vivências, estudos e reflexões enquanto mulher, mãe, psicoterapeuta e cidadã.

Deixe um comentário